La vejez duele en las ciudades

quinta-feira, 26 de abril de 2012



Letras más grandes en los precios del supermercado. Semáforos que dejen cruzar sin tener que correr. Choferes de buses que tengan paciencia y bancos en cada cuadra para descansar a mitad de un paseo. Parecen medidas pequeñas pero son esas pequeñeces las que la Organización Mundial de la Salud (OMS) intenta promover para que, en un mundo cada vez más envejecido , las personas mayores dejen de sentirse acechadas por la ciudad en la que han vivido toda su vida.

Age friendly, como se lee en su versión original o ciudades “amigables con los mayores” es el concepto que Alex Kalache, uno de los especialistas más prestigiosos de la OMS, desarrolló para encontrar una solución a una ecuación inevitable: menos chicos que nacen, viejos que viven más.

“Una ciudad amigable es una ciudad en la que será más fácil para todos poder vivir. Si las veredas están arregladas, eso beneficia a los mayores pero también a las madres con cochecitos o a las personas con sillas de ruedas. Cuando hablamos de una ciudad amigable estamos hablando de una ciudad más humana ”, sostiene Kalache.

Parece una obviedad, pero el concepto recién comenzó a elaborarse a partir del 2005 , cuando la OMS desarrolló el programa “Ciudades amigables con los mayores”. Lo primero que se hizo fue seleccionar 33 ciudades para indagar cuáles eran las falencias y qué cosas necesitaban las personas mayores.

Kalache, ideólogo de este programa, contó que la idea comenzó rondarle cuando se enteró de que la maternidad en que había nacido era ahora un geriátrico . “Las ciudades cambiaron –dice. En el siglo XIX, la expectativa de vida no superaba los 43 años. Hoy las ciudades están envejeciendo y sobre todo en países en vías de desarrollo. Eso se transforma en un desafío, un tema que interesa a todos”.

A partir de ese primer estudio, la OMS elaboró una serie de medidas que involucraban desde políticas de estado como el acceso igualitario a los servicios de salud y a una renta mínima, ayudas para obtener créditos que permitan seguir desarrollando microemprendimientos, o planes de educación para adultos . Pero esa lista también incluye soluciones más sencillas como obligar a los colectiveros a detenerse en las paradas o prolongar la duración de los semáforos para que los mayores puedan cruzar tranquilos.

El "senior boom"
“Las ciudades amigables son las que pueden optimizar las oportunidades de salud, participación y seguridad para sus mayores –explica Kalache–. La idea de ofrecerles seguridad tiene que ver con que existe un sistema que te ayuda a compensar los problemas que vienen con la vejez ”.

Para el año 2030, las personas de más de 65 años serán mil millones y, por primera vez en la historia, habrán superado a los chicos menores de cinco . Según el Instituto Nacional de Envejecimiento de los Estados Unidos, hoy esos mayores suman más de 500 millones. El concepto de ciudades “amigables” intenta dar cuenta de un fenómeno que, para los especialistas, difícilmente vaya a revertirse.

No existe hasta ahora esa ciudad “ideal”, pero Kalache cree que Nueva York es la que más se acerca . No sólo porque hay más conciencia sino también porque la población de “mayores” comienza a ser un buen negocio . Así, los restaurantes cambiaron los menús para que puedan leerse sin anteojos, incluyeron comidas más livianas y decidieron ampliar el horario para los que quieran cenar antes. “No es que queremos ser generosos, es una cuestión de derechos humanos ”, asegura Kalache.

Según la OMS, de aquí a veinte años, el 70% de las personas de la tercera edad vivirá en países en vías de desarrollo –como los países de América Latina. Serán muchos, vivirán más y habrán dejando atrás la imagen del abuelito que se recluye en la pieza del fondo . Los nuevos “mayores” siguen activos aún después de jubilarse y hay quienes hablan del “ senior boom ” para describir a las personas de edad avanzada que siguen tan activos como a los veinte . Estos nuevos “abuelos” se plantean desafíos, estudian, y chatean con los nietos . También están empezando a reclamar una ciudad acorde a ellos. Seremos capaces de darles lo que merecen?


|Vía La Nación
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------

MAIS INFORMAÇÃO


2012, a hora do salto evolutivo

quarta-feira, 11 de abril de 2012



O próximo 21 de dezembro -quando acontece o solstício de verão do hemisfério sul- marcará o fim de uma era e um novo começo. Sinaliza o fim de um ciclo astral de 26 mil anos e o começo de um novo ciclo.  Para o qual, uma nova energia já vem chegando à Terra, numa preparação para a aguardada mudança e, nessa onda, uma enorme quantidade de luz será derramada sobre todos nós em 2012.

Aquele dia será também o começo de um período de 20 anos de transição. Gaia, o grande anjo que toma conta de nosso planeta, decretou que a Terra e todos os que nela habitam devem elevar a sua consciência. Então, se estiver preparad@, você terá uma extraordinária oportunidade de crescimento espiritual, pois uma chance única em muito, muito tempo, tem sido preparada para este momento por centenas de anos.

A cada 26 mil anos, ou 25920 para ser mais exacto, acontece um raro e extraordinário alinhamento astral entre a Terra, o nosso Sol, o Sol da constelação das Pléiades e o centro da nossa galaxia, a Via Láctea.  É aí quando o tempo pára por um momento. Isso é conhecido como um momento cósmico, um período de milagres e do desconhecido, quando acontecem coisas além da compreensão humana.

Escrituras antigas em sânscrito, descrevem este momento cósmico, como a pausa entre a inspiração e a expiração de Brahman, ou Deus.

Os planetas Neptuno, Úrano e Plutão estarão configurados para interagirem. A esperada aceleração espiritual talvez aconteça de forma lenta para a percepção humana, mas em termos cósmicos será muito rápida.

Neptuno representa a espiritualidade elevada, Úrano significa mudança e Plutão é a transformação. Quando estas energias estiverem a trabalhar juntas causarão um enorme impacto no nosso planeta. Isso oferece o potencial para uma enorme mudança de consciência. E estamos a receber orientação para usar estas energias elevadas com sabedoria.


O que exatamente vai acontecer?
A atual projecção é a de que, nesse momento cósmico, algumas pessoas ou, melhor dito, algumas almas vão se mover para a quarta dimensão, outras se moverão para a quinta, enquanto algumas poucas - as que estiverem bem mais evoluídas e preparadas-, vão ascender até céus mais elevados e distantes.

Outras ainda vão escolher ficar aqui na Terra, para que possam actuar como guias de luz e orientar todos aqueles que só vão começar a despertar nesta data.

O momento cósmico e as energias disponíveis fornecerão uma extraordinária chance para a iluminação. É esperado que milhões de almas se beneficiem desta oportunidade espiritual única. Porém, os anjos não antecipam uma grande mudança drástica ou dramática para este dia, pois essas mudanças todas irão acontecendo ao longo do período de transição que se extenderá por duas décadas.

No entanto, os anjos irão se congregar esse dia para ajudar a humanidade a aceitar essas novas energias que estarão disponíveis para todos. Eles pedem-nos para estarmos preparados, para começar a prepararnos desde agora mesmo. Será bom arranjar tempo para orar e para meditar, mas se isso for difícil de fazer, pode, simplesmente, se acender uma vela e pedir para as forças divinas nos guiarem. Você pode ainda preferir fazer caminhadas silenciosas na natureza, e isso já e muito legal. Mas, por favor, reconheça a actual importância deste ponto de nossa vida que comporta um crescimento espiritual pessoal e planetário.


Mover-se para uma outra dimensão?
Tudo tem a ver com a ampliação de nossa consciência. Em quanto mais ampla e profunda ela é, nós podemos ver e sentir muito mais do que hoje podemos ver e sentir. E assim compreender muita coisa que hoje não compreendemos. Então, mover-se para uma outra dimensão significa, basicamente, elevar-nos, passar a um nível mais elevado de consciência.

Hoje, nós vivemos na terceira dimensão. Tudo se vê e se sente assim, a través de tres lados: largura, comprimento e profundidade. Não é?  Vendo tudo assim, nós temos uma compreensão limitada de todo o que existe e do que fazemos com isso tudo. A miúde não conseguimos enxergar as conseqüências do que fazemos pois não conseguimos perceber com clareza o movimento das energias que agitamos com nossos atos. 

Quando, por exemplo, você eleva a sua consciência para a frequência da quarta dimensão, onde sua visão se amplia, também o seu chakra do coração abre-se. E com esse chacra aberto você consegue se conectar com uma outra visão das coisas a nossa volta. Com o coração aberto, não consegue mais prejudicar nenhuma outra forma de vida -sequer para comer aquele perú de Natal-, pois vai perceber o que não percebe agora: que se fizer isso, estará a prejudicar-se você também, pois prejudicando qualquer outro você dispara energias que atingem profundamente seu próprio corpo e sua própria alma. E isso acontecerá com você porque terá acesso a uma consciência global e cósmica, e procurará sempre pela paz. Você terá dado um salto evolutivo.

É antecipado que movimentos pela paz e o fim de toda violência ganharão muita força depois desta data. Isso envolve uma percepção de que somos todos parte de uma Unicidade, somos todos Um, e por consequência tratamos todos os outros seres vivos como gostaríamos de ser tratados.

Quando se ascende para uma frequência ainda mais elevada, se traz uma maior parte da energia da própria alma para dentro de sua vida. Durante esta transição você será capaz de trazer tanta energia divina para si que talvez não consiga mais sustentar um corpo físico, e neste caso poderá fazer a escolha de deixar o seu corpo e ascender de esta nossa terceira dimensão para uma quarta ou quinta dimensão.

O 21 de dezembro de 2012 será um dia branco, se branco ele for. Mas insistimos, não esperemos um espetáculo de fogueteria cósmica, não imaginemos um clima de eventos drásticos nem situações de dramatismo. Claro que poderão acontecer coisas muito fortes em alguns lugares do planeta e até com certos povos e determinadas pessoas. Ao final será um dia verdadeiramente incomum. Porém, esse dia é uma referência de eventos que podem acontecer antes dele e, com certeza, virão a acontecer depois dele.   

Aquele dia do próximo dezembro, sobre tudo, será um portal, que se abrirá a um ciclo de re-evolução e de re-evoluções que irão transformando a vida de nosso planeta e a qualidade do ser humano para promover um mundo mais justo, amoroso e belo.
---------------------------------------------------------------------------------------------
texto baseado no livro Angel Answers, da autora britânica Diana Cooper.

MAIS INFORMAÇÃO