Do que você está feito?

terça-feira, 29 de setembro de 2015



  • Não interessa o que você faz para viver, eu quero saber o fato que você busca e se você é capaz de ousar sonhar em encontrar as aspirações do seu coração.
  • Não me interessa a tua idade, eu quero saber se você é capaz de se transformar num todo para poder amar, viver seus sonhos, aventurar-se de estar vivo.
  • Não me interessa qual o planeta que está em quadratura com a tua Lua, eu quero saber se você tocou o centro de sua própria tristeza, se você tem sido exposto pelas traições da vida ou se você tem se conturbado e se fechado com medo da próxima dor.
  • Eu quero saber se você é capaz de se sentar com a dor, a sua e a minha, sem tentar escondê-la, diminuí-la ou “melhorá-la".
  • Eu quero saber se você é capaz de ficar com a alegria, a minha e a sua, se você é capaz de dançar loucamente e deixar que o êxtase te envolva até a ponta dos dedos dos pés a das mãos, sem querer nos aconselhar a sermos mais cuidadosos, mais realistas ou nos lembrar das limitações de ser humano.
  • Não me interessa se a história que você saia contando é verdadeira, eu quero saber se você é capaz de desapontar o outro para ser verdadeiro consigo mesmo, se você é capaz de suportar a acusação de traição e não trair a sua própria alma.
  • Eu quero saber se você pode ser confiável e verdadeiro, eu quero saber se você pode ver a beleza, mesmo quando o dia não esta belo e na beleza você poder conectar a sua vida através da presença de Deus.
  • Eu quero saber se você é capaz de viver com fracassos, os teus e os meus e mesmo assim se postar nas margens de um lago e gritar para o reflexo da lua, “SIM”!
  • Não me interessa onde você mora ou quanto dinheiro você ganha, eu quero saber se você é capaz de acordar depois da noite de luto e de desespero, exausto e machucado até a alma, e fazer aquilo que precisa ser feito.
  • Não me interessa o que você é, ou como você chegou aqui, eu quero saber se você irá abster-se no centro do fogo comigo e não fugir.
  • Não me interessa onde, o quê ou com quem você estudou, eu quero saber o que te sustenta interiormente quando tudo mais desabou.
  • Eu quero saber se você é capaz de ficar só consigo mesmo, e se realmente é boa companhia para si mesmo nos momentos vazios!!!...q
                                                           Oriah, Sonhador da Montanha, Ancião Indígena
________________________________________________________________________________
Que achou você desse post? Clique abaixo, no link COMENTÁRIOS e deixe sua palavra...

10 razões para não usar o microondas

domingo, 27 de setembro de 2015



1.O organismo humano não é capaz de metabolizar os subprodutos ainda desconhecidos criados em alimentos aquecidos no microondas.

2. Os minerais, vitaminas e nutrientes de todo alimento aquecido em microondas são reduzidos ou alterados, de forma que nosso organismo receba muito pouco ou nenhum benefício desse alimentos ou, pior ainda, o corpo absorve compostos que não conseguem ser quebrados/digeridos apropriadamente.

3. Comer alimentos aquecidos em microondas frequentemente causa, a longo prazo, danos cerebrais permanentes, por conta do encurtamento dos impulsos elétricos no cérebro (despolariza ou desmagnetiza o tecido cerebral).

4. A produção de hormônios femininos e masculinos é diminuída ou alterada quando se come, com frequência, alimentos aquecidos em microondas.

5. Os efeitos do subproduto dos alimentos aquecidos em microondas são permanentes e ocorrem a longo prazo no organismo.

6. Os minerais das verduras aquecidas em microondas são alterados e se transformam em radicais livres cancerígenos.

7. Alimentos aquecidos em microondas causam câncer no intestino e no estômago. Isso pode explicar o rápido crescimento de casos de câncer de cólon nos últimos anos.

8. O consumo prolongado de alimentos aquecidos em microondas faz com que o número de células cancerosas no organismo aumente.

9. A ingestão contínua de alimentos aquecidos em microondas causa deficiências no sistema imunológico por conta de alterações na linfa e no sangue.

10. Consumir alimentos aquecidos em microondas causa perda de memória, concentração, instabilidade emocional e decréscimo da inteligência.q
______________________________________________________________________________
Que achou você desse post? Clique abaixo, no link COMENTÁRIOS e deixe sua palavra...

|| MAIS INFORMAÇÃO

Sem grilos na cuca

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

________________________________________________________________________________
Que achou você desse post? Clique abaixo, no link COMENTÁRIOS e deixe sua palavra...

El lado oscuro que no quiero ver

quarta-feira, 23 de setembro de 2015




* Por Milan Karmeli

Cuando era pequeño, tenías miedo a la oscuridad?... La mayoría de nosotros le temíamos. Y dudo que alguna vez pensamos en cuestionar este miedo. Nos enseñaron casi naturalmente a tener miedo a la oscuridad, porque la oscuridad está llena de cosas desconocidas que, supuestamente, nos podrían perjudicar.

Pero, ¿qué solía ocurrir cuando encendías la luz? Te diste cuenta que las cosas desconocidas no eran tan temibles. Y no eran tan desconocidas. Eran sólo parte del entorno. Entonces, se acabó el miedo. No. Fíjate que no. Han pasado los años y sin embargo ese miedo nos sigue acompañando de alguna manera. Sucede que hemos aprendido a asociar la oscuridad con el miedo y lo desconocido, y aprendimos que es mejor no hablar con nuestros pensamientos y emociones oscuros. No vaya a ser que...

Encender la luz sobre nuestra sombra emocional es mucho más difícil que accionar un interruptor de luz física. Por eso lo evitamos. La superficialidad es más fácil. Pero esta oscuridad de nuestra alma tiene una vida propia que igual se nutre ya sea lo reconoscamos o no. Está ahí, siempre está ahí. Y es poderosa.

Este miedo de nuestra complejidad emocional creció a medida que nosotros crecimos y con el tiempo se convirtió en nuestra sombra. Es una parte oculta en nosotros que influye en nuestras decisiones con más frecuencia de lo que somos conscientes.

En verdad, mucho esfuerzo se va en reprimir y ocultarla de nosotros mismos y de otros. Es nuestro lado oscuro. Las partes de las que nos avergonzamos y nos da miedo mostrar. Pero a través de la negación, no somos capaces de ver que en la oscuridad de las tinieblas también yacen nuestros puntos fuertes.

Entendiendo la oscuridad
Por razones originadas en el pasado, hemos decidido negar y ocultar este lado oscuro sin explorarlo más. Y así, nos mantiene alejados de expresarnos verdaderamente. En muchos sentidos, ocultar nuestra sombra  puede ser considerada la forma más alta de traición.

Al ocultar esta parte de nosotros, estamos diciendo que no merecemos  mostrar nuestro ser completo, y con ello nos traicionamos a nosotros mismos. De ahí viene el secreto, la manipulación, el fingir, lo que nos toma una gran parte de nuestras vidas por temor a ser expuestos y rechazados.


Nuestra sombra puede manifestarse como debilidad o fortaleza. Tomar completa conciencia de nuestro ser nos permite una oportunidad para expresar la fuerza. Por el contrario, hacer caso omiso de estas cualidades siempre producirá un resultado perjudicial. Cuanto más nos reprimimos estos rincones oscuros de nuestro ser, más enfrentamos desorden en nuestra personalidad. Esto puede manifestarse como:
  • adicción
  • ansiedad
  • relaciones o trabajos intencionalmente fallidos
  • otros comportamientos que causan la destrucción de nosotros mismos y de otros.
Hacer conciencia de nuestra sombra es arrojar luz sobre nuestras primeras heridas y darnos una oportunidad para la sanación y transformación. Pero siempre y cuando elegimos cerrar los ojos a esto, las heridas continúan descomponiéndose mientras emiten veneno en nuestras vidas.

Para profundizar en nuestra espiritualidad, debemos pasar por la sombra. Cualquier trabajo espiritual debe implicar exposición y comprensión de nuestra sombra.

Lo que no queremos ver
Únicamente centrándose en la búsqueda de nuestra luz es posible mantenerse lejos de los lugares de la vergüenza, la culpa, los celos, la codicia, la competencia, la lujuria, la agresión. Pero son esas mismas emociones que se deben trabajar primero antes de acercarse a nuestros lados más claros.

Incluso ciertas prácticas espirituales como la meditación pueden llegar a ser difícil cuando tratamos de ignorar nuestra propia sombra. Su represión aparece cuando cerramos nuestros ojos, y nos quedamos con sólo nuestros pensamientos.

Al igual que con todas las emociones fuertes, lo que no queremos mirar siempre nos mantiene contraídos y en el rechazo. En el fondo sabemos que estas cualidades y sentimientos residen en nosotros, y el esconderlos nos lleva a una vida de no-autenticidad y comportamiento autodestructivo.


Si no reconocemos nuestra sombra y la abrazamos, la profundidad de nuestro crecimiento espiritual y personal es limitada. Negarse a mirar la oscuridad es negarse a uno mismo la necesidad de ser recibido en su totalidad por los otros. Dice el poeta: No escojas sólo una partetómame como me doy, entero y tal como soy... Esa es nuestra necesidad.

El problema comienza con un exceso de identificación con la parte de nosotros mismos adquirida a través de nuestra propia percepción de la realidad. Es decir, de cómo vemos al mundo y cómo nos parece que debemos encajar en él. Esto a su vez da forma a nuestra personalidad, el lado superficial de nosotros, lo que el mundo ve de nosotros a primera vista. Entonces estamos viendo apenas una parcialidad de nosotros mismos que siquiera es auténtica sino un modelo adaptado a lo que nos parece exitoso en el mundo.

En ese camino, nuestros roles y personalidad hacen todo lo posible para ayudarnos a sentirnos "dignos" y "adorables" según el patrón de medida de los otros. Para algunos, es siendo inteligente, exitoso y poderoso mientras que para otros es lo contrario. En cualquier forma que nuestra personalidad intente controlar nuestra vida, sigue siendo solo otro intento de ser amado por ser algo que sabemos que no somos.

Mientras esta visión parcial de nosotros mismos se mantiene intacta, creamos separación. El mensaje es: "Yo no quiero mirar y sentir ciertas partes dentro de mí y yo prefiero condenar a otros por mostrar y vivir lo que yo quiero rechazar". Por lo tanto, elegimos la separación, dentro y fuera. Y eso se transforma en una dolorosa jaula de continuo aislamiento.

Yo, un familiar extraño
El camino hacia nuestra luz es a través de la oscuridad. Lo queramos o no, el lado oscuro en nosotros es muy activo a pesar de que está oculto y no es evidente para el exterior. Pero sabemos que está ahí, pidiendo continuamente reconocimiento.

La sombra debe ser enfrentada en un ambiente seguro y amoroso. Puede ser el amparo afectivo de alguien que nos ama de manera incondicional y nos comprende, puede ser el marco de una terapia. De lo contrario, hay demasiado miedo de que su cara cause devastación y dé lugar a un mayor aislamiento. Ahí podemos empezar a buscar, ver, y expresar lo que se ha escondido de nuestra conciencia.

Hay muchos diamantes en bruto de fuerza, creatividad y belleza, que hemos mantenido limitados, para que otras personas cercanas no se sientan pequeñas, intimidadas o asustadas. Asumir nuestra sombra es un paso inmenso hacia la curación y el amor propio.

Al principio, cuando nos embarcamos en este apasionante y necesario camino, no podemos estar seguros de lo que realmente somos. Pero esto es sólo porque estamos tan acostumbrados a las máscaras, que expresar nuestro verdadero yo es como conocer a un familiar extraño. Pero más temprano de lo que suponemos nuevas posibilidades, opciones y percepciones aparecen.

De repente podemos enfrentar los muchos interrogantes de nuestra vida desde un lugar de fuerza y autenticidad. Fortalecemos nuestra capacidad de estar en este mundo más plena y completamente.

Entonces, ¿estás listo?q


Milan Karmeli es un terapeuta e coaching  israelí. Él declara que su pasión es vivir por la verdad, y ayudar a otros a eliminar toda ilusión de separación.
_______________________________________________________________________________
Que achou você desse post? Clique abaixo, no link COMENTÁRIOS e deixe sua palavra...

|| MAIS INFORMAÇÃO

Dia da árvore no Brasil

segunda-feira, 21 de setembro de 2015



Olha estas velhas árvores, mais belas
do que as árvores moças, mais amigas.
Tanto mais belas quanto mais antigas,
vencedoras da idade e das procelas...
O homem, a fera e o inseto, à sombra delas
vivem, livres da fome e de fadigas.
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
e os amores das aves tagarelas.
Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo. Envelheçamos
como as árvores fortes envelhecem,
na glória da alegria e da bondade,
agasalhando os pássaros nos ramos,
dando sombra e consolo aos que padecem!
                                                                                                              -Olavo Bilac-
________________________________________________________________________________
Que achou você desse post? Clique abaixo, no link COMENTÁRIOS e deixe sua palavra...

|| MAIS INFORMAÇÃO

Frutas para desfrutar da saúde

sábado, 19 de setembro de 2015



Estudos e pesquisas científicos publicados em diversos meios mostram que consumir  5 variedades de frutas todos os dias diminui as taxas de colesterol e os riscos de problemas vasculares, prolonga a vida e ainda melhora o pique para fazer as tarefas do dia a dia. Quer mais motivos para ir à feira?

Comer frutas é sempre gostoso. Quando meninos é também um barato; pegar com a mão, se lambuzar, a qualquer hora, em qualquer lugar (melancia, melão maduro, sapoti, juá...umbu cajá, carne de caju...).  Já de adultos resulta prazeroso degustar dessas delícias selvagens, in natura ou então preparadas, acompanhando refeições (adoro laranja com o feijão e manga rosa com arroz branco) ou como sobremesas.
                             

Em povoazinhos e cidades pequenas conserva-se o saudável costume de incluir as frutas no cardápio cotidiano. Mesmo na rua pode-se observar pessoas descascando uma banana, mordendo uma maçã ou compartilhando uma melancia. Porém, já na cidade grande a coisa é bem diferente pois o consumo desse alimento é baixo ou nulo. Parece que quanto mais urbanos e “civilizados” ficamos vamos virando menos naturais e mais burros. E por tanto mais vulneráveis a doenças.

As frutas em geral, por conter fibras e fitoquímicos, são capazes de reduzir os riscos de diversos tipos de câncer, além de constituírem importantes aliadas na luta contra o envelhecimento, já que têm ação antioxidante, agentes que combatem os radicais livres.

Esses radicais tão temidos
No nosso organismo, os radicais livres são produzidos pelas células, durante o processo de combustão por oxigênio, utilizado para converter os nutrientes dos alimentos absorvidos em energia. A queima desse oxigênio libera radicais livres. Esse processo danifica as células sadias do nosso corpo, podendo atingir e prejudicar o DNA e até desencadear doenças.

Entretanto, o nosso organismo possui enzimas protetoras que reparam 99% dos danos causados pela oxidação, ou seja, nosso organismo consegue controlar o nível desses radicais produzidos através de nosso metabolismo. Mas para manter, estimular e ajudar esse circuito reparador nosso corpo orgánico deve receber alimentos com propriedade antioxidante que anulam a ação dos radicais livres. Uma alimentação rica em frutas, legumes, vegetais, hortaliças e cereais garantem esta proteção extra ao organismo.
                         

Mas é bom lembrar que os processos metabólicos não são a única fonte de radicais livres. Fatores externos podem contribuir para o aumento da formação dessas moléculas. Entre esses fatores estão: poluição ambiental; raio-X e radiação ultravioleta; cigarro; álcool; resíduos de pesticidas; substâncias presentes em alimentos e bebidas (aditivos químicos, conservantes, hormônios); estresse; consumo de gorduras saturadas (frituras, etc); consumo de gordura animal.

Tudo que é produzido na natureza e, por tanto, em nosso organismo tem um sentido benéfico, incluso os venenos. Assim, um dado importante a ter em conta es que os radicais livres também têm um papel positivo atuando no combate a inflamações, matando bactérias, e controlando o tônus dos músculos lisos. O ponto é conseguir manter uma produção equilibrada.
                                 

Para promover esse equilíbrio uma escolha sempre benéfica é o consumo de frutas ricas em vitamina C como abacaxi, acerola, goiaba, laranja, limão, tangerina, kiwi, caju, morango, frutas cítricas que protegem o corpo contra gripes e outras infecções. A concentração desta vitamina é essencial para o bom funcionamento do sistema imunológico.

Desde México até Argentina, América Latina possui uma ampla variedade de climas e de solos que lhe permitem produzir uma grande porção dos mais de 80 milhões de toneladas anuais coletados em todo o planeta. Brasil é o terceiro maior produtor de frutas do mundo, no entanto, o hábito do brasileiro de comer frutas ainda é pequeno. Segundo pesquisa do Ministério da Saúde, menos de 20% da população consome cinco porções diárias - o equivalente _às 400 gramas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde. Vamos comer mais frutas, sejamos mais saudáveis, ao final moramos num continente frutal, não é ?... Bem, então te deixo aqui uma erótica cesta de frutas com o perfume da música brasileira e tropical. Você vai se deliciar.   

             Para desfrutar. Versão rara, num ensaio sinérgico entre Alceu Valença e seus fans.

Tropicana
Da manga rosa quero gosto e o sumo / melão maduro, sapoti, juá
Jaboticaba, teu olhar noturno / beijo travoso de umbu cajá
Pele macia é carne de caju  / saliva doce, doce mel, mel de uruçu
Linda morena, fruta de vez temporana / caldo de cana caiana 
vou te desfrutar!
Linda morena, fruta de vez temporana / caldo de cana caiana 
vem me desfrutar!                                    
Morena Tropicana eu quero teu sabor
Ôôôô! Ioiôiôôô!
________________________________________________________________________________
Que achou você desse post? Clique abaixo, no link COMENTÁRIOS e deixe sua palavra...

|| MAIS INFORMAÇÃO

Capitalismo espiritual?

terça-feira, 15 de setembro de 2015


Capitalismo consciente

As empresas do futuro devem deixar de focar apenas no lucro, e trabalhar por valores como amor, respeito e confiança. Nos tempos de crise, melhor do que colocar funcionários na rua é tratá-los como parte da família. Essas são apenas algumas das bases de um movimento chamado Capitalismo Consciente, do qual o principal militante é o indiano Raj Sisodia, consultor e professor de negócios do instituto Babson College (Massachusetts, Estados Unidos).

O discurso “paz e amor” tem convencido empreendedores ao redor do mundo, inclusive no Brasil. Algumas das empresas brasileiras que aderiram são Natura, Embraer, Porto Seguro, Okena e a cooperativa de catadores YouGreen, dentre outras. Lá fora, a filosofia já ganhou Whole Foods Market, Starbucks e Google, para citar algumas.

Numa entrevista ao sítio Exame.com, Raj Sisodia sinalizou que “fomos levados a acreditar que os negócios são apenas sobre fazer dinheiro. Na verdade, assim como os seres humanos, as empresas podem ter um propósito maior”.

A seguir os principais trechos da entrevista:

- O que é capitalismo consciente?
- O capitalismo consciente é um jeito de pensar sobre negócios, é uma filosofia diferente daquela que se tornou comum, de que os negócios existem apenas para gerar dinheiro para os acionistas.
Na verdade os negócios são muito mais do que isso. O dinheiro para os acionistas é um tipo de valor para uma das partes interessadas. Mas os negócios impactam outras tantas pessoas: clientes, funcionários, fornecedores, comunidades e os próprios acionistas. O papel real das empresas deve ser criar valor para todos eles, e não simplesmente usá-los para gerar dinheiro para os acionistas.

Capitalismo consciente
Raj Sisodia
Uma empresa não existe apenas para fazer dinheiro?
- Nós fomos levados a acreditar que os negócios são apenas sobre fazer dinheiro. Na verdade, os negócios, assim como os seres humanos, podem ter um propósito maior. Nas empresas conscientes, há uma cultura baseada no respeito, no amor, na confiança.
Na maioria dos negócios há muito medo e muito estresse. As pessoas têm medo de perder seus empregos. É por isso que, na maioria das empresas, as pessoas não estão animadas em trabalhar, o engajamento dos funcionários é muito baixo, os níveis de estresse são muito altos e com isso aparecem muitas doenças. Mas não precisa ser assim. Nós podemos ter um trabalho que as pessoas gostem, e no qual as pessoas se importem com as outras. Esse é um jeito de pensar no negócio em que todo mundo vence.

Quais as vantagens competitivas de uma empresa consciente?
- As empresas conscientes têm muitas vantagens competitivas. Em primeiro lugar, elas têm uma força de trabalho muito mais inspirada, criativa e engajada. Enquanto as empresas comuns têm um engajamento de 25%, essas empresas têm de 78% a 90% das pessoas realmente dedicadas ao trabalho. Então elas conseguem mais produtividade e mais inovação de seu pessoal.
Ao mesmo tempo, elas têm uma baixa rotatividade. Em segundo lugar, essas companhias têm clientes muito leais e dedicados, que são realmente apaixonados pelo negócio. Então essas empresas também não precisam gastar muito dinheiro com marketing. Além disso, elas atraem os melhores fornecedores. Outras empresas vão tentar usar o seu poder para apertar o fornecedor, para conseguir o preço mais baixo possível, e pagá-lo depois do maior tempo possível. Já as empresas conscientes tratam bem os fornecedores.

- Como essas ideias podem ser aplicadas para pequenas e médias empresas?
- Qualquer empresa pode ter um propósito maior. Todo negócio tem sempre pessoas, e você pode pensar no seu pessoal como o seu propósito. Como? Criando uma boa vida para essas pessoas, medindo seu sucesso pelo tanto que você melhora a vida delas. Muitos dos que vêm às nossas conferências são empreendedores que têm pequenos negócios. São pessoas que não começam um negócio apenas para ganhar dinheiro, elas querem fazer a diferença.

Capitalismo consciente

- Na sua opinião, o que significa ser um empreendedor?
- Basicamente, o empreendedor tem o sonho de fazer o mundo um lugar melhor, através do produto ou serviço que oferece. Se ele estiver certo, aquilo vai criar valor para o cliente e também oportunidades para as pessoas trabalharem. São pessoas que tomam riscos pessoais enormes, investem todo o seu dinheiro, o seu tempo, em boa parte dos casos não recebem nenhum pagamento.
Se nós não tivéssemos pessoas tomando esses riscos, não evoluiríamos como seres humanos. Em que mundo nós viveríamos sem o empreendedorismo de pessoas como Thomas Edison, os irmãos Wright, e todos os outros que foram pioneiros em indústrias totalmente novas? Na maioria dos casos, os empresários são criticados, são tratados como trapaceiros, gananciosos, egoístas. Mas os empreendedores são heróis do nosso mundo, e tem sido assim nos últimos séculos. Nós precisamos reconhecê-los e celebrá-los.

- O Brasil passa por um período de crise econômica. Como um negócio consciente sobrevive na crise?
- É nesses momentos difíceis que o caráter da empresa é revelado. Nos tempos de crescimento, qualquer empresa pode tratar bem as pessoas. Os negócios conscientes têm uma cultura forte, têm a confiança dos funcionários, dos clientes e dos fornecedores. É quase como uma família. Quando chegam os tempos difíceis, o que uma família faz? Todos sacrificam algo e se unem para sobreviver.
Na crise de 2008 e 2009 nos Estados Unidos, a maior parte das empresas conscientes não teve demissões massivas. Uma dessas empresas, em vez de demitir 20% do pessoal, pediu para todos tirarem um período de férias não remuneradas, para que a empresa pudesse economizar algum dinheiro. Com isso, todos tiveram um sentimento de sacrifício compartilhado. Se todos têm que fazer um sacrifício, as pessoas não se importam em se sacrificar também. O problema é quando um tem que sacrificar tudo, enquanto o outro não sacrifica nada.

- Como uma atitude como esta ajuda a empresa a superar a crise?
- As crises não duram para sempre. Então, quando esse período difícil acaba, a empresa está numa posição muito mais forte. As outras empresas, que demitiram 25% dos seus empregados, agora estão desesperadas tentando contratar de novo, não conseguem dar conta dos pedidos dos seus clientes porque não têm pessoal. Nas companhias conscientes, os funcionários já estão todos em seus lugares, então elas acabam ganhando uma fatia do mercado. Essas empresas pegaram algo negativo e transformaram em positivo.

Como o capitalismo consciente pode ser aplicado em países em desenvolvimento como Brasil ou Índia?
- Esse conceito é essencial para os países em desenvolvimento. Por duas razões: a primeira é que muitos desses lugares estão adotando as ideias do capitalismo de livre mercado. Mas, em muitos casos, ainda adotam o velho capitalismo, e por isso estão destinados a cometer os mesmos erros do capitalismo de estilo americano, centrado no investidor, que tem uma série de efeitos negativos. A vantagem que temos em países em desenvolvimento é que podemos tirar vantagem dos erros dos outros, do que já foi aprendido. Esses países precisam aproveitar essa oportunidade.
A segunda coisa é que o impacto dos negócios na vida das pessoas é ainda maior nesses países. Porque nos países em desenvolvimento você não tem uma rede de seguridade social, não tem um governo rico que provém um nível básico de saúde e educação, as pessoas estão muito próximas do limite, e por isso o impacto de uma empresa na vida delas é ainda maior.

Capitalismo consciente

- O economista Thomas Piketty, autor de “O capital no século 21”, ficou conhecido por discutir o capitalismo atual, e não é tão otimista. Segundo ele, o capitalismo possui uma tendência à concentração de renda e ao aumento da desigualdade. O que acha disso?
- Se você tem uma mentalidade de maximização dos lucros, se você acha que é disso que se trata o seu negócio, então isso pode resultar em usar as pessoas, pagar a elas o mínimo possível e tirar todo o valor que elas criam para você. Acho que o capitalismo tradicional tem esse perigo. Mas a resposta para isso não é o socialismo, é o capitalismo consciente. Porque o socialismo não funciona. Se você tem apenas a igualdade como objetivo, todos serão igualmente miseráveis. A liberdade tem que ser um valor maior.

Qual a resposta do capitalismo consciente para esse problema?
As empresas conscientes pagam bem os seus funcionários, e tendem a ter uma diferença menor entre os que ganham mais e os que ganham menos. Nos Estados Unidos, a maioria das empresas tem uma diferença salarial de 375 para 1. Nas empresas conscientes, essa diferença é de 20 para 1. Elas pagam mais para as pessoas da base, e pagam menos para as pessoas no topo. Acredito que Piketty diagnosticou o problema, mas não gosto do tratamento que ele sugere.

- O senhor nasceu na Índia, um país em que a espiritualidade está mais presente no cotidiano das pessoas do que na maior parte do ocidente. O que o capitalismo consciente tem a ver com espiritualidade?
- Há milhares de anos, já existiam mestres na Índia que pensaram profundamente sobre muitas dessas questões. Sobre trabalho, liderança, esse tipo de coisa. E isso é uma coisa que eu, mesmo sendo da Índia, não sabia. Fui educado num sistema educacional católico, e meus pais não falavam sobre a sabedoria indiana em casa...
...Mas, em 2007, quando escrevi “Empresas Humanizadas”, eu fui até a Índia e mostrei o livro para um professor que conheci na escola de negócios. Ele leu e disse: "Tudo o que você escreve já foi escrito há 4 mil anos, está tudo no Bhagavad Gita (livro religioso hindu)". E foi então que eu comecei a ler mais sobre sabedorias antigas, não só indianas, mas também o judaísmo, a tradição sufi, o budismo...
... Nós precisamos misturar o melhor da eficiência e da modernidade que o capitalismo tem, especialmente no ocidente, com a sabedoria antiga do oriente, que fala sobre significado, propósito, bem-estar espiritual e emocional, que fala sobre viver em harmonia com a natureza e pensar nas próximas gerações.q

|| Via Exame.com
______________________________________________________________________________
Que achou você desse post? Clique abaixo, no link COMENTÁRIOS e deixe sua palavra...

|| MAIS INFORMAÇÃO

A fuga da cidade para o campo

sexta-feira, 11 de setembro de 2015



A crescente conversão das pessoas em urbanitas faz supor, segundo dados de organismos das Nações Unidas, que por volta do 2050 um 80% da população mundial more em centros urbanos. No caso de América Latina esse porcentagem poderia ser ainda maior. No entanto, na contramão dessa projeção, uma pesquisa privada revela que  nos próximos dois anos a maior tendência comportamental no mundo será a migração de quem está no ambiente urbano para o rural.

O estúdio foi divulgado pela Worth Global Style Network (WGSN), empresa mundial de futurologia e previsões de comportamento. Parece uma contradição com os dados das Nações Unidas porém não é. A investigação da WSGN, sinaliza para uma clara e forte afirmação de um comportamento social novo. Em meio ao fluxo que vai do campo para a cidade, um número maior de famílias e grupos de pessoas começam a ensaiar o caminho inverso.

Para certos analistas, essa mudança é um fenômeno social que não possui apenas uma causa, mas que está ligado ao despertar de consciência após um longo período em que a sociedade ficou fadada a preencher seus anseios sentimentais através do consumo. No vídeo seguinte, você poderá apreciar alguns das causas e motivos que estimulam essa troca do asfalto pela terra nua.



________________________________________________________________________________
Que achou você desse post? Clique abaixo, no link COMENTÁRIOS e deixe sua palavra...

|| MAIS INFORMAÇÃO